- Atualizada em 19/09/2017 08:24

Câmara aprova o programa Escola de Ofício na rede municipal de ensino

Vereador Mendes Ribeiro
Vereador Mendes Ribeiro (PMDB)(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Com 25 votos favoráveis e três contrários, o projeto de lei que institui o programa Escola de Ofício na rede municipal de ensino de Porto Alegre, de autoria do vereador Mendes Ribeiro (PMDB), foi aprovado pelo Legislativo da Capital nesta quarta-feira (13/9). Segundo o parlamentar, o objetivo do programa é funcionar como “instrumento de promoção pessoal de alunos, que lhes capacitará a desenvolverem habilidades e práticas profissionais nos setores de trabalho em que haja demanda social”. 

Conforme a proposição, poderão participar do programa os estudantes regularmente matriculados no último ano do ensino fundamental ou no ensino médio, com frequência periodicamente comprovada. “As oficinas profissionalizantes visam o desenvolvimento de atividades em áreas cuja demanda social seja inesgotável e que exijam conhecimentos que possam ser aprendidos por adolescentes”, afirma a justificativa do projeto.

A iniciativa prevê que o Escola de Ofício seja implementado de forma gradativa, mediante o oferecimento gratuito de formações para o desenvolvimento de competências técnicas e socioemocionais nas seguintes áreas: robótica, empreendedorismo, programação, design e gastronomia. As formações serão escolhidas pelos alunos e ministradas em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social da Indústria (Sesi), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), universidades, empresas e outras entidades escolhidas pelo Executivo municipal.

“O desenvolvimento do programa, com investimentos próprios ou por meio de convênios, se dará mediante a criação de cursos de baixo custo que ofereçam formação profissional de fácil colocação no mercado de trabalho ou cujo exercício possa se dar de forma autônoma”, afirma Mendes Ribeiro. Segundo ele, além de fonte de sobrevivência, a formação profissional “poderá ser responsável pelo aumento da autoestima, o que revela seu importantíssimo valor social”.

Texto e edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)