Plenário

Câmara homenageia o 30º aniversário da Emef Gabriel Obino

  • Período de Comunicações em homenagem à Escola Municipal de Ensino Fundamental Gabriel Obino.
    Alunos, professores e comunidade escolar lotaram o Plenário da Câmara(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Período de Comunicações em homenagem à Escola Municipal de Ensino Fundamental Gabriel Obino. Na foto, o diretor da EMEF Gabriel Obino, professor Airton de Oliveira Garcia, a vereadora Sofia Cavedon e o vereador José Freitas.
    Airton de Oliveira Garcia (d) recebe o diploma entregue por Sofia Cavedon e José Freitas(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

A Câmara Municipal de Porto Alegre homenageou, durante a sessão ordinária desta quinta-feira (13/09) à tarde, o 30º aniversário da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Gabriel Obino. A Proposta pela vereadora Sofia Cavedon (PT), a cerimônia ocorreu no Plenário Otávio Rocha da Casa e foi dirigida pelo vereador José Freitas (PRB). Durante o ato, o diretor e professor da Emef, Airton de Oliveira Garcia, recebeu dos vereadores um diploma em que a Câmara reconhece e destaca os trabalhos prestados pela instituição, fundada em 1987 e que se tornou uma referência na área de ensino na Capital.

Em seu discurso, Sofia Cavedon (PT) cumprimentou a todos pela mobilização em prol da valorização da história da escola e destacou, em especial, a participação da Associação dos Trabalhadores em Educação de Porto Alegre (Atempa). “A Associação tem um papel muito importante nas escolas, nos espaços físicos, no debate curricular, no debate do calendário - temas que são muito importantes à nossa rede”, enfatizou.

Sofia observou que, apesar da escola estar situada em uma região muito conhecida pela violência, no Bairro Glória, a Emef Gabriel Obino tem progredido para não deixar essa violência adentrar os portões da escola. Segundo ela, a partir da vida real dos estudantes, há o engajamento pelo ensino de qualidade e para a mudança da história. “Ela trabalha as dimensões. Adotou a escola aberta aos finais de semana. Tem muitas oficinas no contraturno, com o propósito de fomentar o ensino, porque disputou recursos para ter essas oficinas. Tem laboratórios de aprendizagem e defende os seus espaços com muita garra. Ela vem existindo, vem resistindo. Não deixa cair a qualidade, apesar da falta de professores”, relatou Cavedon ao chamar a atenção para o ensino de línguas estrangeiras desenvolvido e a pujança da arte no conteúdo curricular. 

Conforme o professor e diretor Airton de Oliveira Garcia, a escola opera com 60 profissionais, em três turnos, e atende cerca de 700 alunos em tempo integral, além de servir cinco refeições balanceadas por dia. “Os alunos permanecem nela em período regular. Isto é importante devido à violência que temos no entorno”, mencionou Garcia. Ainda assim, o diretor ressaltou dados alarmantes da Organização das Nações Unidas (ONU), segundo os quais 781 milhões de adultos, no mundo, são analfabetos. Destes adultos, 72% estão em dez países. e o Brasil é o oitavo país. Sem contar que 64% das pessoas analfabetas são constituídas por mulheres, sobretudo negras e pardas. 

“Estimular as artes, o letramento, a educação ambiental, as diferentes culturas (com destaque para as culturas indígena e africana), a paz, a construção de conhecimentos e saberes, o pensamento crítico social, cultural e político faz a diferença. Destinar dinheiro para saúde e, sobretudo, educação não é gasto, é investimento”, corroborou Garcia ao fechar a sua fala de agradecimento.  

Alunos, professores e representantes da comunidade escolar estiveram presentes e lotaram as galerias do Plenário Otávio Rocha durante a homenagem. Para provar a luta da instituição, Cavedon convidou todos a visitarem os desenhos dos alunos expostos nas paredes da Câmara e deixou registrado “Educação de qualidade sempre”. 

Na oportunidade, os seguintes parlamentares municipais também se manifestaram:

DEDICAÇÃO - João Bosco Vaz (PDT) assinalou que educação é muito mais do que o aprendizado em si, representa troca de experiências, sabedoria, cultura e bom convívio. Elogiando o trabalho e a dedicação dos professores, destacou que eles não atuam somente como profissionais de educação. Eles precisam ser pais, mães, psicólogos e mestres. Resultado originado por famílias que transferem ou exigem responsabilidades de criar e desenvolver seus filhos. Analisando o impacto das gestões municipais e criticando a atual, afirmou que praticamente todos os secretários de Educação tiveram a capacidade para dialogar com o setor. "A exceção parece ser o governo atual", considerou. (AM)

CONTEXTO - Reginaldo Pujol (DEM) cumprimentou a direção e a equipe pelo empenho e dedicação. Revisando o contexto histórico da criação da escola, recordou que há 30 anos, em 1988, a transição democrática marcava uma importante época política de todo o país. A administração municipal havia sido eleita indiretamente pelo Legislativo em 1985. Apesar de ser um período emblemático, o vereador acompanhou de perto a situação da Escola Gabriel Obino, construída no mandato do prefeito Alceu Collares. O projeto, que implementava o modelo educacional de escolas de tempo integral introduzido pelo ex-governador Leonel Brizola, introduziu milhares de jovens à educação, cidadania e ao mercado de trabalho. (AM)

PROJETO - Aldacir Oliboni (PT) destacou a importância da escola, que é uma unidade de referência no ensino da região do bairro Cascata. Incentivando o apoio a setores de assistência social e lembrando que a educação pública e a saúde pública são compromissos do Estado para com seus cidadãos, pediu a sensibilização dos parlamentares para que apreciem seu projeto de lei para tornar a área da escola em Área Especial de Interesse Social. De acordo com Oliboni, a aprovação promoveria o desenvolvimento social da comunidade e inibiria a ocorrência de violências e usos de drogas nas proximidades. (AM)

PRECARIEDADE - “Sabemos que os tempos não são fáceis. Nós, professores que planejamos e executamos a educação diariamente, conhecemos a realidade. O secretário (de Educação) desconhece a realidade do município”, afirmou o Professor Alex Fraga (PSOL). Ele criticou o descaso com a educação, apontando casos de sala de professores minúsculas, o que inviabiliza o planejamento, descanso e reunião dos profissionais, bem como estruturas prediais precárias e exposição a problemas de saúde ocasionados pela inexistência de coleta de esgoto. ”Ainda assim, celebramos a resistência dos alunos e professores que lutam por uma educação digna e de qualidade, apesar de todas as adversidades”, finalizou. (AM)

Textos: Bruna Schlisting Machado (Estagiária de jornalismo)
            Alex Marchand (Estagiário de jornalismo)
Edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)

 

Tópicos: bairro Glóriabairro CascataEmef Gabriel Obino