- Atualizada em 16/10/2017 09:56

Omar Ferri recebe o Título de Cidadão de Porto Alegre

  • Sessão Solene de outorga de título de Cidadão de Porto Alegre a Omar Ferri.
    O vereador Valter Nagelstein entregou a distinção ao homenageado(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Sessão Solene de outorga de título de Cidadão de Porto Alegre a Omar Ferri. Na foto, o homenageado
    Omar Ferri foi vereador da Capital e ocupou diversos cargos públicos(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

A Câmara Municipal realizou, na noite desta terça-feira (10/9), sessão solene de outorga de Título de Cidadão de Porto Alegre ao ex-vereador da Capital Omar Ferri. A cerimônia, que ocorreu no Plenário Otávio Rocha, foi presidida pelo vereador João Carlos Nedel (PP) e proposta pelo vereador Valter Nagelstein (PMDB).

Na tribuna, Nagelstein destacou algumas das principais passagens da trajetória de vida de Omar Ferri. “Ele nasceu em Encantado em 1933. Em 1957, formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais na Pucrs. Ficou conhecido como especialista em processos penais. Por vários anos, participou da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RS. Foi secretário municipal e vereador em Encantado, procurador autárquico federal em Brasília, deputado estadual suplente, vereador em Porto Alegre e assessor especial do governador do Estado do Rio Grande do Sul”, lembrou.

Nagelstein ainda ressaltou que o homenageado é uma pessoa que tem amor à justiça e apego às coisas bem-feitas. “É um modelo a ser admirado e seguido, por isso me enche de orgulho, como autor dessa proposta, a presença de tão distintas autoridades. Este homem é uma das figuras ilustres da época da ditadura, um período complexo de nossa história, uma pessoa que lutou pelos direitos humanos e efetiva participação na busca pela transformação da sociedade”, afirmou. O vereador concluiu citando Mahatma Gandhi: “Se queremos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova. Omar Ferri é um homem que teve a capacidade de ser reformular, é um homem de seu tempo, de nosso tempo, é um homem de Porto Alegre”, finalizou.

Já agraciado como Cidadão de Porto Alegre, Ferri fez um longo discurso destacando seu espírito, que segundo ele, sempre foi rebelde. “Nunca permiti que me sufocassem, que não deixassem eu dizer o que eu queria dizer. Sou um livre pensador e por toda a vida fui um homem político”, declarou. Sobre ideologia, Ferri salientou que o comunismo foi um sonho e o messianismo operário não passou de uma ilusão. “Nenhum país tem o seu suporte econômico apenas em uma classe social. Somente os fanáticos e sectários não entendem as modificações sociais”, relatou.

O homenageado prosseguiu, afirmando que o Brasil hoje vive uma decadência cultural. “Não pode haver democracia em um lugar que é campeão mundial em contrabando, corrupção, tráfico de drogas, onde morrem por assassinato mais de 57 mil pessoas todos os anos, e os assassinos ficam impunes.” Ferri finalizou dizendo que a pátria foi desonrada e o povo não merece tamanho insulto. “A cada temporada o Brasil cresce milhares de ricos e marginaliza milhões de pobres. Persigo o sonho de um Brasil livre onde todos serão iguais em decência e caráter”, concluiu. 

Prestigiaram a sessão o representante do Poder Judiciário do RS, desembargador Carlos Roberto Canibal; o representante do Ministério Público do RS, procurador de Justiça Roberto Pereira; o general de Exército José Carlos de Nardi, ex-chefe do Estado-Maior conjunto das Forças Armadas; o ex-governador do RS Jair Soares; o ex-senador Pedro Simon; e o deputado estadual Tiago Simon.

Texto: Lisie Venegas (reg. prof. 13.688)
Edição: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)