Plenário

Secretaria Municipal da Segurança faz balanço das atividades de 2017

  • Período de Comunicações Temático para apresentar as atividades e ações desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Segurança (SMSEG), ao longo do ano de 2017. Na foto, a secretária adjunta da pasta, delegada Cláudia Rocha
    Cláudia Rocha destacou importância da mulher nos órgãos de segurança(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Movimentação de plenário. Na foto, a vereadora Mônica Leal, a secretária delegada Claudia Rocha e as vereadoras Comandante Nádia e Sofia Cavedon.
    Mônica Leal (e), Cláudia Rocha, Comandante Nádia e Sofia Cavedon (d)(Foto: Luiza Dorneles/CMPA)

As atividades e ações desenvolvidas ao longo do ano de 2017 foram tema do período de Comunicações da sessão ordinária desta quinta-feira, 1º de março. Para falar do assunto, a Câmara Municipal de Porto Alegre recebeu a delegada Cláudia Rocha, secretária adjunta da pasta, que destacou a importância do espaço da mulher na política e nos órgãos de segurança. 

Ao agradecer a vereadora Comandante Nádia (PMDB) pelo convite, Cláudia afirmou que, apesar de ter sido bastante corrido, 2017 foi um ano no qual a Secretaria enfrentou novos desafios. Um dos pontos principais ressaltados por ela foi a integração das forças de segurança do estado e do município. Para ela, este foi o norte da administração da Secretaria com a união de esforços realizada com as polícias civil e militar, além do Exército. “Passaram a ser parceiros da Guarda Municipal.” A exemplo disto, a delegada explicou que o Centro de Comando do Estado e de Porto Alegre trabalham juntos com as câmeras de monitoramento, totalizando mais de mil equipamentos espalhados na cidade. Com a medida, Cláudia acredita que a integração faz o policiamento mais eficaz, podendo trabalhar na recuperação de veículos furtados, roubados ou até clonados.  

A entrega de viaturas à Guarda Municipal e o cercamento eletrônico em parceria com as polícias e a EPTC também foi outra atividade que veio a somar na melhoria do trabalho, de acordo com a delegada. “Houve uma mudança na estruturação da Guarda.” No ano passado, uma ronda ofensiva foi criada pelo órgão de segurança. “O que seria o top de linha da Guarda Municipal”, disse ao afirmar que é um projeto em que os integrantes usam uma força mais necessária na realização do primeiro atendimento. Ainda conforme Cláudia, houve também investimento em novos equipamentos, compra de capacetes e coletes à prova de bala. Em termos de comunicação, a delegada disse que o sistema de rádio, em conjunto com a Polícia, é eficaz para evitar o aumento da criminalidade. Em relação à Defesa Civil, ela afirmou que o setor tem demonstrado sua capacidade de atuação em situações de risco, como nos dias de grandes chuvas.

Quanto ao planejamento de 2018, há projetos voltados ao direito da mulher. Segundo Cláudia Rocha, um deles foi trabalhado com a Secretaria de Desenvolvimento Social junto à campanha educativa referente ao assédio nos transportes coletivos. A necessidade da denúncia desses casos é muito importante, conforme ela. “O coletivo é para ser um lugar seguro, onde qualquer um possa usar. O programa irá se estender durante o ano.” Ao falar do mês de março dedicado à mulher, a delegada disse imaginar que, no futuro, as mulheres venham para a Guarda Municipal, como tem acontecido nas polícias civil e militar. Na Guarda Municipal, de 470 guardas, apenas 33 são mulheres, de acordo com dados da instituição. Outro projeto junto ao Ministério da Justiça visa a implementar na Guarda Municipal a Patrulha Maria da Penha – nos mesmos moldes da Brigada Militar. Com isso, a delegada disse que o município pode atuar com viaturas específicas para auxiliar no atendimento dos casos de violência. “É importante que a Guarda tenha aparato para este tipo de situação.”

Vereadores

INTEGRAÇÃO - Adeli Sell (PT) atentou para a importância da integração dos entes públicos relacionados à segurança. Lembrou que a questão de venda de bebidas para menores, venda de drogas e comércio de bebidas na rua é recorrente na Cidade Baixa e não ocorre somente no carnaval. Falou, ainda, do problema de insegurança no Centro de Porto Alegre. “Os vendedores de fruta são um problema, pois fazem com que as pessoas não consigam transitar”, alertou o vereador. (AF)

MULHERES - “É importante conversar agora em março sobre a questão das mulheres e sobre o cuidado daqueles que nos protegem, os guardas municipais”, disse a Comandante Nádia (PMDB). A vereadora lembrou que não gosta de vitimização, mas de ações afirmativas que façam com que as mulheres sintam-se donas do seu próprio destino e protagonistas de suas próprias histórias. Desejou que todos possam transitar na Capital em segurança e que março seja um mês de reflexão não só para as mulheres, mas para todos. “Todos sabemos o que precisa ser feito. Não adianta só apontarmos defeitos, temos que apontar as soluções”, concluiu. (AF)

SEGURANÇA - Mônica Leal (PP) afirmou que é muito bom receber na Câmara Municipal de Porto Alegre os representantes da segurança municipal, para que todos estejam integrados deste importante trabalho que é voltado para a segurança urbana de toda comunidade. “Nós, cidadãos, temos, sim, responsabilidade com a segurança de Porto Alegre, por meio da segurança preventiva.” Como exemplo, falou do “Saint Patricks Day”. Disse ser contra a sua realização, visto que são previstas mais de 35 mil pessoas em pequenas ruas não dimensionadas para isso, o que coloca em risco a população e traz muitos problemas. (AF)

TUTELAR - José Freitas (PRB) parabenizou o trabalho da guarda municipal, ressaltando que teve a honra de conhecê-lo pessoalmente. Lamentou que os novos guardas aprovados em concurso provavelmente não serão chamados, lembrando que existem muitos setores que estão descobertos pela Guarda Municipal. Ressaltou, também, a importância do guarda municipal no plantão centralizado, visto que normalmente só é composto por dois conselheiros tutelares. “Às vezes é necessário conter um adolescente trazido pela Brigada Militar e que está drogado e/ou armado, e os conselheiros não dão conta.” (AF)

EFETIVO – André Carús (PMDB) destacou que a segurança é fundamental para a cidade, que clama por mais efetivo nas ruas. “O município precisa fortalecer o seu efetivo. Nós aprovamos uma emenda e uma subemenda que garante recursos para a inclusão de mais 100 guardas nas ruas”. Disse ainda que teve amplo apoio da maioria dos vereadores para a aprovação das emendas, porém o projeto foi vetado parcialmente pelo Executivo. “Vamos enfrentar esta discussão aqui no Legislativo para rejeitar este veto. E precisamos definir como fica a população”, disse o vereador. “Aprovamos também o projeto do sistema colaborativo, de minha autoria, que ajusta o monitoramento na Capital." (PB)

EVOLUÇÃO - Felipe Camozzato (Novo) destacou que a cidade está avançando bastante em termos de segurança, tendo uma Guarda Municipal cada vez mais autônoma. Falou também da integração da Guarda Municipal com outros órgãos de segurança. “Então, me coloco à disposição para darmos mais aporte ao setor de segurança, para atendermos a população neste quesito”. Completou que a Brigada Militar tem feito um excelente trabalho na Capital. "Queremos ver essa evolução ainda mais intensificada." (PB)

Texto de: Munique Freitas (estagiária de Jornalismo)
               Adriana Figueiredo (estagiária de Jornalismo)
              Priscila Bittencourte (reg. prof. 14806)
Edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)