Sessão

Sessão Ordinária / Lideranças

  • Movimentações de plenário. Na foto, a vereadora Lourdes Sprenger.
    Vereadora Lourdes Sprenger (MDB)(Foto: Leonardo Contursi/CMPA)
  • Movimentações de plenário. Na foto, a vereadora Karen Santos
    Vereadora Karen Santos (PSOL)(Foto: Leonardo Contursi/CMPA)

Os vereadores e vereadoras da Câmara Municipal de Porto Alegre, durante os períodos de Grande Expediente, Comunicações e Lideranças da sessão ordinária desta segunda-feira (15/04), trataram dos seguintes temas:

AMBIENTE - Lourdes Sprenger (MDB) falou sobre a questão do meio ambiente. “Escolhi esse assunto devido ao caso de desmoronamento, no Rio de Janeiro”, relatou a parlamentar ao mencionar que “a natureza não consegue recuperar o que temos tirado do planeta”. Na oportunidade, Lourdes criticou a demora das licenças ambientais. “Há anos os governos anunciam que vão agilizar as licenças, mas ficam apenas na retórica”, disse. Enquanto isso, a emedebista expressou que os crimes ambientais ocorrem tanto por parte dos grandes empreendimentos, quanto por parte dos pequenos. “Parece que o homem não está aprendendo com os seus erros”, afirmou. A vereadora reforçou, para finalizar, que “as alterações ambientais decorrem da falta de respeito do homem, da falta de planejamento urbano e da falta de rigor do Estado para aplicar a legislação em vigor”. (BSM)

CORTE - Karen Santos (PSol) tratou da “denúncia que está sendo levantada pelo movimento estudantil da Ufrgs” que, de acordo com a parlamentar, essa queixa dos estudantes é sobre o “corte de R$ 5 bilhões, pelo governo federal", para a área. A partir desse corte, Karen destacou que a falta de verba irá atingir “os estudantes do elo mais frágil, sobretudo os cotistas: estudantes trabalhadores, que são pais e que são mães”, relatou. Para finalizar, a parlamentar anunciou que “às 10h desta terça-feira, na Faculdade de Educação da Ufrgs, vai ter um ato pelos estudantes e pela gestão da universidade”. “Precisamos ter sensibilidade. É o futuro do nosso país que está em jogo”, concluiu. (BSM)

SEGURANÇA - Adeli Sell (PT) lamentou ameaças que escolas vêm sofrendo por falta de guardas municipais. Mencionou caso de escola que foi pichada com ameaças de atentado similar ao ocorrido na cidade paulista de Suzano. Disse ter enviado mensagem ao secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira, pedindo providências. Adeli também criticou "o abandono da cidade" e citou, como exemplo, a grande quantidade de lixo acumulada na rua Erechim, no Morro Nonoai, que continua esburacada. Lembrando que a Câmara aprovou, recentemente, o projeto sobre carreira dos servidores públicos, o vereador disse que pretende reativar a Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público, que funcionou em legislaturas anteriores. Também voltou a convidar os vereadores e vereadoras a participarem da Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura, por ele presidida na Câmara. Adeli se disse impressionado com o número de pessoas participando da Frente, que tem discutido vários temas, entre eles o Plano Municipal do Livro e da Leitura. (CS)

PREVENÇÃO - Professor Alex Fraga (PSOL) destacou que o prefeito Nelson Marchezan Júnior, por meio do novo secretário municipal de Saúde, vem determinando novas diretrizes para a área de saúde, consideradas inovadoras pela atual administração. Alex lamentou, no entanto, que o governo municipal não privilegie a prevenção, "que é muito mais barata e eficaz", pois evitaria que as pessoas adoecessem e desoneraria os cofres públicos, bem como liberaria mais vagas em hospitais e postos de saúde. Segundo Alex Fraga, houve diminuição significativa dos programas de imunização na cidade e no país, e doenças como sarampo reapareceram, voltando a preocupar os profissionais de saúde. O vereador considera que os governos aplicam "parcela insignifcante de recursos" direcionada a programas de prevenção e defendeu campanhas de imunização em massa. (CS)

Texto: Bruna Schlisting Machado (estagiária de Jornalismo)
          Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)
Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)