Plenário

Veterano da Segunda Guerra Mundial será nome de praça

Vereador Paulinho Motorista na fotografia
Vereador Paulinho Motorista (PSB)(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, projeto de lei de autoria do vereador Paulinho Motorista (PSB) que denomina Praça Ary Drumm o logradouro não cadastrado conhecido como Praça Sete Mil e Trinta e Cinco, localizado no Bairro Hípica. Se aprovado o projeto, as placas denominativas conterão, abaixo do nome do logradouro, os seguintes dizeres: Parceiro da comunidade.

Ary Drumm morou na Serra do Engenho, município de Campo Comprido. Serviu no quartel aos 18 anos, sendo chamado para servir na Segunda Guerra Mundial. Retornou da guerra e voltou ao quartel na Serra dos Engenhos. Em seguida, foi novamente para guerra, desta vez, na Itália, integrando a Força Expedicionária Brasileira (FEB). Era da arma de cavalaria e também tinha outros afazeres, como cozinhar para os veteranos e ajudar os feridos. “Viu muitas coisas que não gostava de falar. Tinha saudade da família, além da incerteza de saber se retornaria vivo. Assistiu colegas de farda sendo mortos, mutilados, entre outras situações”, lembra o vereador.

Acabada a guerra, Ary voltou para sua terra natal, Serra dos Engenhos. Com necessidades financeiras, começou novamente em plantio rural. Foi morar em Carazinho com a família, começou a trabalhar como carpinteiro, fazia móveis, e logo após foi trabalhar na empresa Rondon, em construções de estradas como as BRs 386 e 116.

Após um tempo, teve que arrumar todos seus documentos, que levou em torno de três anos, para obter o direito à aposentadoria militar para os veteranos da FEB. Enquanto isso, em 1965, veio para Porto Alegre morar na casa de um capitão, até que os papéis para instruir a aposentadoria fossem concluídos. O capitão conseguiu que ele trabalhasse no quartel da Aparício Borges, arrumando os muros, pintando e limpando o local. Ary Drumm morou em Porto Alegre por 35 anos. Foi embora para Soledade, onde morreu, aos 82 anos de idade, em janeiro de 2008.

Texto: Matheus Lourenço (estagiário de Jornalismo)
Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)