Plenário

Sessão extraordinária / Lideranças

  • Vereadora Cláudia Araújo na tribuna
    A vereadora suplente Cláudia Araújo (PSD)(Foto: Elson Sempé Pedroso/CMPA)
  • Na foto, vereador Adeli Sell
    O vereador Adeli Sell (PT)(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Durante a sessão extraordinária da Câmara Municipal de Porto Alegre, nesta quinta-feira (8/3), os vereadores falaram dos seguintes temas nos tempos de Lideranças:

MULHERES - Cláudia Araújo (PSD) destacou que a mulher batalha por transformações dentro da sociedade, lutando para que novas culturas e outros tipos de relacionamentos possam ser agregados. Segundo ela, as mudanças sempre causam desconforto inicial, mas a desigualdade de gênero tem de ser extinta da sociedade, fazendo com que a voz e as opiniões das mulheres sejam valorizadas. "Ideias não podem ser desvalorizadas em função da pessoa ser de outro sexo. Precisamos sempre nos adaptar a novos desafios, mas nem sempre determinamos as regras do jogo." Mesmo admitindo que as mulheres já obtiveram muitos avanços na busca por igualdade de direitos, Cláudia observou que ainda há muito a ser conquistado. "Somos, muitas vezes, identificadas como o 'sexo frágil', mas estamos cada dia mais fortes e vitoriosas. É preciso que todas as mulheres sejam reconhecidas, amadas, valorizadas e respeitadas." (CS)

COBRANÇA - Adeli Sell (PT) criticou tentativa do prefeito Nelson Marchezan Júnior de tentar cobrar pelo uso de espaços públicos, como praças, esplanadas e a orla do Lami. Lembrou que, para doar ou alienar bens públicos, é preciso licença legislativa. Para Adeli, é preciso discutir os bens de uso comum do povo. O vereador observou que grandes eventos precisam de estrutura, como iluminação, limpeza e acompanhamento da EPTC, "mas quem faz piquenique não pode pagar, pois não vai ter lucro disso". Lembrou que o governo municipal quer fazer cobranças inclusive em relação à organização da Parada Gay na Capital e alega não ter recursos sequer para a procissão do Morro da Cruz. "É preciso colocar dinheiro em eventos para que tenhamos uma Porto Alegre inclusiva e democrática", disse Adeli. (CS)

PREFEITO - Clàudio Janta (SD) criticou atitude do prefeito Nelson Marchezan Júnior de pedir empréstimo ao BNDES sem o aval da Câmara Municipal. Janta também considerou inadequada a declaração do prefeito, que, em visita ao Banco, afirmou que, nos últimos 15 anos, Porto Alegre teve o pior resultado financeiro entre todas as capitais brasileiras. O vereador também relatou que Marchezan teve uma reunião com o presidente Michel Temer, em que teria se mostrado muito irritado devido aos valores dos salários dos servidores de Porto Alegre, o que não permitiria ao Município fazer investimentos. "Mas foi o prefeito que liberou os altos salários no Município, derrubando o teto salarial, e agora quer maltratar servidores que recebem salários mais baixos retirando gratificações. O prefeito não gosta de gente pobre, mas teria de aprender um pouco com eles. Saber como eles sobrevivem neste mundo, sendo pessoas íntegras e honestas, conseguindo que suas famílias sobrevivam e tenham dignidade." (CS)

Texto: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)
Edição: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)