- Atualizada em 10/11/2017 13:17

Professor e técnico Batista pode ser agraciado com o título de Cidadão de Porto Alegre

Movimentação de plenário.
Plenário Otávio Rocha, na Câmara Municipal de Porto Alegre, durante sessão plenária (Foto arquivo)(Foto: Henrique Ferreira Bregão/CMPA)

Tramita, na Câmara Municipal de Porto Alegre, projeto de lei que concede o título de Cidadão de Porto Alegre ao professor e técnico de voleibol João Batista dos Santos. “Comemoremos com esse grande homem formador de importantes talentos o título de Cidadão de Porto Alegre, elevando nosso Município às esferas do desporto internacionais”, comentam os integrantes da Mesa Diretora, proponentes da homenagem.

Batista, como é conhecido em seus meios de trabalho, nasceu em 18 de outubro de 1939, em Santo Antônio da Patrulha. Formou-se professor pela Escola Rural de Osório. Mudou-se, anos depois, para Porto Alegre, onde fez o curso infantil de educação física na Escola Superior de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Esef/Ufrgs). Em 1962, ingressou nessa mesma escola para especializar-se em técnica desportiva em voleibol.

Atuou, dentre outras instituições, no Colégio Estadual Inácio Montanha, de 1966 a 1978; na Subsecretaria do Centro Estadual de Treinamento Esportivo (CETE), de 1978 a 1986; na Congregação Franciscana, de 1968 a 2005; na Sociedade de Ginástica de Porto Alegre (Sogipa), por dezesseis anos; no Grêmio Náutico União, por 10 anos; e no Colégio Militar de Porto Alegre, de 1997 a 2017.

Foi pioneiro no Brasil com o treinamento diário para as equipes de voleibol competitivas, além de ser o primeiro profissional a usar uma comissão técnica (técnico, assistente técnico, preparador físico e departamento médico) no Rio Grande do Sul. Em 2016, conduziu a tocha olímpica das Olimpíadas do Rio de Janeiro, quando esta passou por Porto Alegre.

Dentre os mais de 300 atletas que treinou como técnico de voleibol da equipe masculina do Colégio Militar estão campeões olímpicos e ex-integrantes da Seleção Brasileira de Voleibol, assim como o atual técnico da Seleção Brasileira de Voleibol masculino. 

Texto: Adriana Figueiredo (estagiária de jornalismo)
Edição: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)