Plenário

Sessão ordinária / Lideranças

  • Movimentação de Plenário. Na tribuna o vereador Claudio Janta
    Cláudio Janta (Solidariedade) (Foto: Júlia Urias/CMPA)
  • Movimentação de Plenário. Na tribuna o vereador Roberto Robaina
    Roberto Robaina (PSOL) (Foto: Júlia Urias/CMPA)

Nos discursos de Lideranças da sessão ordinária desta quarta-feira (10/7), os vereadores e as vereadoras de Porto Alegre abordaram os seguintes temas:

BENEFÍCIOS - Cláudio Janta (Solidariedade) afirmou que apenas 40% dos porto-alegrenses atingidos pela enchente tiveram acesso ao auxílio-reconstrução, e que a maioria dos pedidos de benefícios para empresas, junto ao Pronampe da Caixa Econômica Federal, e empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), teve seus recursos negados. “São dados oficiais, os empréstimos não saíram para quem precisa", criticou. O vereador também questionou a burocracia para o saque emergencial do FGTS. (BPA)


RECICLAGEM - Everton Gimenis (PT) discursou acerca do ato que ocorreu no Centro de Porto Alegre por parte dos catadores e recicladores de material reciclável. "Eles estão com três pautas importantes para tratar com o governo. A primeira delas é o pagamento do auxílio de R$ 500 que o prefeito Melo anunciou que seria renovado por mais seis meses. Porém, a reivindicação do movimento é que esse auxílio se torne uma lei ambiental." Além disso, pedem a reforma dos galpões de reciclagem destelhados pela chuva e questões contratuais com os valores recebidos para a manutenção dos locais. "A situação dos catadores de Porto Alegre é muito importante para o meio ambiente e para a coleta seletiva. São pessoas que sobrevivem desse trabalho", enfatizou. (LP)

CORRUPÇÃO - Roberto Robaina (PSOL) cobrou informações sobre a existência ou não de contratos firmados entre a empresa de comunicação de Cleber Benvegnú e a Prefeitura de Porto Alegre. De acordo com o vereador, Benvegnú foi acusado de práticas de corrupção envolvendo licitações, desvios de valores públicos e lavagem de dinheiro no município de Santa Cruz do Sul. “Peço essa informação para os líderes do governo, porque o que estamos trazendo é suspeita de corrupção. Ou, que tem um sujeito ligado à corrupção trabalhando na Prefeitura”. (RR)

CENTRO - Moisés Barboza (PSDB) comemorou a vitória do que chamou de “centro democrático” nas eleições legislativas francesas. Ele criticou o que tratou como polarização entre extremos e afirmou que o resultado mostra a necessidade de uma terceira via na política. “Há aqueles que defendem o Estado mínimo e aqueles que defendem o Estado máximo. Nós, do PSDB, sempre dizemos que defendemos o Estado necessário”.  (TP)

ELEIÇÕES - Biga Pereira (PCdoB) comentou as eleições legislativas na França, que fizeram da esquerda o maior grupo no parlamento. “A defesa da democracia foi o que pautou o campo democrático progressista naquele país. Para nós, é motivo de felicidade”, declarou. Ela criticou o ex-presidente Jair Bolsonaro por ato de entrega de medalha ao presidente da Argentina, Javier Milei, e a falta de representantes do governo estadual na reunião da Comissão de Urbanização, Transportes e Habitação (Cuthab) desta terça-feira (9). Por fim, criticou a demora do encaminhamento do relatório da Prefeitura com dados das famílias atingidas pela enchente para a entrega de habitações pelo governo federal. (BPA)

CRÍTICA - Mari Pimentel (Republicanos) destacou os problemas causados pela polarização política mencionada pelo vereador Moisés Barboza, afirmando que ela prejudica as políticas públicas da Capital. Denunciou o que chamou de falta de comprometimento do Executivo em contratar profissionais qualificados para a reconstrução do município. "Precisamos de engenheiros, arquitetos, mas tivemos 90 cargos sendo colocados no Comitê de Reconstrução de Porto Alegre. E quem está lá? A guria que cuida da agenda do prefeito." (LP)

Texto

Brenda Andrade, Laura Paim, Renata Rosa e Theo Pagot (estagiários de Jornalismo)

Edição

João Flores da Cunha (reg. prof. 18241)