PLENÁRIO VIRTUAL

Sessão ordinária - Lideranças

4ª Sessão Extraordinária da 7ª Sessão Legislativa Extraordinária.  Lideranças e votação de processos.
4ª Sessão Extraordinária da 7ª Sessão Legislativa Extraordinária. Lideranças e votação de processos.(Foto: Elson Sempé Pedroso/CMPA)

Na sessão plenária de hoje (31/7), vereadores e vereadoras de Porto Alegre trataram dos seguintes temas:

CÓRTEX - Adeli Sell (PT) falou sobre a parceria realizada por Adriano Naves de Brito, secretário municipal da Educação, para a utilização do sistema Córtex. Segundo Adeli, a Smed está afrontando o Estatuto da Criança e do Adolescente, pois o sistema obriga as crianças e professores a colocarem seus dados pessoais e “não há anonimização dos dados”. Segundo o vereador, “esse sistema não está na Transparência” e não há uma forma de acompanhamento desse processo. O petista voltou a criticar a postura do prefeito em relação à Procempa, alegando que a empresa não foi consultada e que a prefeitura teria condições de ter um sistema de gerenciamento das aulas de forma remota. O vereador também mostrou preocupação com uma matéria da Revista Istoé, acreditando que há “uma usurpação de dados pessoais” e “hipoteticamente os dados são comercializados”. (RF)

MENTIRAS - Prof. Alex Fraga (PSOL) apontou sua indignação pela entrevista dada ao SBT pelo secretário Adriano Naves de Brito. Para Fraga, as manifestações de Brito “distorcem a verdade e trazem mentiras à população”. O vereador reiterou sobre o Córtex, alegando que há uso indevido de dados dos estudantes da rede municipal. Sobre a utilização de recursos para destinação de alimentos às famílias dos estudantes, Fraga disse que ou o secretário ou o prefeito estão mentindo, pois Marchezan disse à Câmara que a distribuição dos alimentos para as famílias necessitadas ia ocorrer pela Fasc. “Como o secretário fala em público que a Smed está distribuindo alimentos às famílias desde o início da pandemia? Os recursos que foram distribuídos foram apenas, até o mês de junho, provenientes dos estoques das escolas”. Fraga sugeriu que o secretário reveja os seus pronunciamentos e “pare de mentir em público”, pois isso é uma “afronta ao poder legislativo da cidade de Porto Alegre”. (RF)

FISCALIZAÇÃO – Aldacir Oliboni (PT) falou sobre o pedido de exoneração do secretário municipal de Desenvolvimento Social e Esportes, Itacir Amauri Flores, cuja saída ocorreu após a contratação de um instituto que tem como presidente Tiago Franklin Soares, filho do hoje ex-secretário. Oliboni lembrou que o albergue Nossa Senhora dos Navegantes, administrado pelo instituto, atendia 150 moradores em situação de rua antes da contratação, e passou a oferecer somente 84 vagas. “O albergue recebia R$ 96 mil e esse novo instituto recebeu, em três parcelas, R$ 559.564,68 por um número 40% menor de atendimentos”. Oliboni frisou que é trabalho dos vereadores fazer essa fiscalização e lembrou do decreto 17.765, que veta as contratações de parentes em até segundo grau. “Dia 7 de abril foi nomeado o secretário, dia 13 a contratação do instituto. Pode dar improbidade administrativa do secretário, que já saiu, ou até do prefeito municipal”. (RF)

NEGOCIAÇÕES - Airto Ferronato (PSB) disse que vem acompanhando de perto o processo trazido pelo vereador Aldacir Oliboni (PT). Ferronato trouxe informações de que se reduziu o número de vagas aos moradores em situação de rua, mas há mais serviços disponíveis e por mais tempo. “As tratativas para a contratação do instituto aconteceram em março e o secretário assumiu em abril. Portanto, quando as negociações se iniciaram, o secretário que agora se exonera nem era cogitado. As negociações começaram antes da posse”, explicou o vereador. (RF)

INVESTIGAR - Lourdes Sprenger (MDB) disse que se o ex-secretário foi indicado pelo seu partido ou direto pelo prefeito, a solução é averiguar se existe algum problema. “Assim como eu sempre fiz, assinei a CPI da Procempa. Quando há algum problema, deve se investigar.” Finalizou sua fala dizendo que “não podemos fazer injustiça”, e que o secretário sair do cargo foi a decisão mais adequada. (LMN)

Texto

Rian Ferreira (estagiário de Jornalismo)
Lara Moeller Nunes (estagiária de Jornalismo)

Edição

Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)