TRIBUNA POPULAR

Simpa contesta terceirizações e dados sobre finanças municipais

Sindicato dos Municipários de Porto Alegre – SIMPA discute sobre terceirizações no Serviço Público Municipal e Finanças da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Ao microfone, diretor-geral do SIMPA, João Ezequiel Mendonça da Silva.
João Ezequiel Mendonça da Silva, diretor-geral do Simpa(Foto: Débora Ercolani/CMPA)

Diretor-geral do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), João Ezequiel Mendonça da Silva falou hoje (20/02) sobre o processo de tercerirização e privatização em curso em diversos setores da Prefeitura, notadamente na área da saúde. Disse que a empresa responsável desde o ano passado pelos prontos-atendimentos da Lomba do Pinheiro e Bom Jesus está proibida de atuar em Santa Catarina, devido a processos judiciais por desvio de dinheiro público naquele estado e em São Paulo. E que já há nessas comunidades reclamações quanto à falta de profissionais e demora para atendimento, o que não reflete melhoria nos serviços. Conforme Silva, a previsão é que mais de 90 das 140 unidades de saúde em Porto Alegre sejam entregues à iniciativa privada. O representante do Simpa também entregou aos vereadores relatório do Instituto de Debates, Estudos e Alternativas de Porto Alegre (Idea) contrariando as declarações do prefeito Nelson Marchezan de que as finanças do Município estariam no mesmo patamar que as do Estado. Fechado neste mês, o relatório aponta que a dívida líquida consolidada do Município é de menos de 20%, enquanto a do Estado é de 120% da receita líquida anual. O estudo também aponta superávit nas contas municipais, contra previsão de déficit nos últimos três anos. Confira a Tribuna Popular na íntegra. 

  • Simpa - João Ezequiel M. Silva