PLENÁRIO

Vereadores congelam os próprios salários, do prefeito, vice e secretários pelos próximos quatro anos

  • Sessão ordinária. Na foto, o presidente Reginaldo Pujol
    Sessão foi presidida por Reginaldo Pujol (DEM)(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • No painel, vereador Mendes Ribeiro.
    Parte dos vereadores participaram de forma remota(Foto: Débora Ercolani/CMPA)

A Câmara aprovou, por unanimidade, na tarde desta quarta-feira (11/11), durante sessão ordinária, projeto que fixa os subsídios mensais do prefeito, do vice-prefeito e dos secretários municipais da capital gaúcha para os próximos quatro anos. Pela proposta, o novo prefeito eleito vai receber R$ 19.477,39 e o vice e os secretários do município R$ 12.984,93; ou seja, os mesmos valores propostos em setembro de 2016 vão ser praticados por mais de oito anos, até 31 de dezembro de 2024. Na mesma sessão, foi aprovado o projeto que também mantém congelada pelo mesmo período a remuneração dos próprios vereadores. A quantia de R$ 14.573,78 não recebeu sequer o acréscimo das perdas inflacionárias do último ano. Mesmo este tipo de reposição, ao menos nos anos seguintes, e ainda que houvesse aumento da arrecadação, estaria proibida se duas emendas neste sentido não tivessem sido derrotadas em plenário.  Confira a íntegra das discussões. 

Texto

Joel Ferreira (Reg. Prof. 6098)

  • Ver. Clàudio Janta (SD)

  • Ver. Adeli Sell (PT)